Teste do polígrafo

O teste do polígrafo

Funcionamento do exame | Fases de um teste de polígrafo

Teste do polígrafoUm teste do polígrafo pode ser utilizado para diferentes fins e não unicamente para a detecção de mentira ou confirmação da verdade. No entanto, quando se fala de polígrafo é normalmente referido a este aspecto da sua aplicação. A continuação explica o uso do instrumento na detecção de engano.

Como funciona um teste do polígrafo?

Um teste do polígrafo tem um procedimento muito estrito que se compõe de diferentes fases.

Antes de expor os diferentes passos do teste do polígrafo é importante explicar que cada exame é sempre voluntário. O sujeito examinado deve assinar um documento no qual consente de forma voluntária submeter-se ao teste do polígrafo.

Um teste do polígrafo também se realiza num lugar privado no qual não há distracções que possam influir ou distorcer as reacções fisiológicas recolhidas pelo polígrafo.

As fases de um teste de polígrafo são:

  1. Recolha da informação básica do sujeito como nome, endereço, etc.
  2. Entrevista prévia para tomar conhecimento em detalhe do caso a examinar
  3. Recolha da informação fisiológica do sujeito com instrumento
  4. Análise da informação obtida
  5. Relatório escrito com a informação e opinião do psicofisiólogo forense

O tempo normal de um teste do polígrafo é de aproximadamente 2 horas. (Fase 1 a 4 descritas anteriormente).

O passo 5, o relatório escrito, é normalmente entregue após análise final e redacção do parecer e pode demorar entre 24 a 48 horas dependendo do teste e do profissional.

Situações nas quais se aplicam testes em Portugal

O teste do polígrafo para determinação de honestidade é aplicado em diversas situações.

Os tipos de teste de polígrafo dependem de quem solicita a sua utilização, uma entidade comercial, pública ou particular.

As entidades comerciais ou públicas aplicam testes do polígrafo na maioria das vezes para prevenir riscos ou controlar perdas e danos.

Mais adiante explicamos em pormenor estes testes do polígrafo, mas podemos adiantar que quando empresas aplicam testes de prevenção normalmente é ao nível de recursos humanos.

Os tipos de testes são:

  • Teste do polígrafo para recursos humanos
  • Testes do polígrafo de pré-emprego ou selecção de pessoal
  • Testes do polígrafo de seguimento do empregado

Em casos nos quais alguma perda ou dano sucede na empresa, são aplicados testes do polígrafo específicos.

Alguns exemplos são:

  • Teste do polígrafo para roubo, furto
  • Confirmar inocência
  • Abuso de poder
  • Investigar uma fuga de informação confidencial, espionagem industrial
  • Casos de sabotagem, vandalismo
  • Destruição intencionada do património da empresa
  • Etc.

Cada vez mais pessoas privadas ou particulares também acodem ao polígrafo para resolver assuntos pessoais ou familiares.

Nestes casos estes particulares podem recorrer ao polígrafo para resolver situações de falta de confiança ou situações negativas ás quais foram confrontados.

Os casos mais comuns em particulares são:

  • Testar infidelidade na relação
  • Acusações de abuso sexual
  • Furto na família
  • Consumo de substâncias alucinogénas
  • Etc.

Contactar B.E.A.R. FORENSICS PORTUGALCaso necessite mais informação com respeito à realização do teste do polígrafo pode contactar directamente com B.E.A.R. FORENSICS para mais informação.

EuropeSpain