Perguntas Frequentes

Perguntas frequentes sobre o polígrafo

Explicação do exame | Perguntas frequentes & respostas sobre polígrafo

 

  1. Quantas perguntas posso fazer num teste do polígrafo?
  2. O teste é confidencial?
  3. Quem recebe os resultados do teste do polígrafo?
  4. Qual é a margem de erro de um teste do polígrafo?
  5. Um particular pode também submeter-se a um teste?
  6. Quanto custa um teste de polígrafo?
  7. Onde posso fazer um teste do polígrafo em Portugal?
  8. Pode outra pessoa também assistir ao teste?
  9. Quanto tempo demora em receber os resultados?
  10. Em que consiste o relatório do exame?
  11. Quem não pode ser submetido a um teste?
  12. Como funciona um teste do polígrafo?
  13. Existem limitações ao tipo de assuntos, perguntas tratados?

1. Quantas perguntas posso fazer num teste de polígrafo?

Uma das perguntas mais frequentes na hora de informar sobre o funcionamento de um teste do polígrafo. No entanto esta pergunta, mesmo se compreensível, não corresponde à realidade de um teste de polígrafo profissional.

Sabemos que os filmes e programas de televisão podem dar uma ideia equívoca do teste de polígrafo. Esta pergunta está baseada na experiência que o público tem sobre a utilização do teste neste âmbito.

O número de perguntas não é importante na hora de realizar um teste de polígrafo. O técnico deve perceber qual é a dúvida, o assunto que deseja esclarecer. Com base nesta informação o técnico saberá que perguntas fazer.

O resultado de um teste de polígrafo não discrimina entre perguntas. As perguntas são uma ferramenta para chegar a uma conclusão com respeito à veracidade ou engano de uma pessoa. Isto significa que o teste trata sobre a honestidade de uma pessoa com respeito a um tema específico.

O resultado do teste é único, uma pessoa é honesta com respeito a um assunto ou demonstra sinais de engano.

Vamos ilustrar isto num exemplo para ser mais claros:

Caso: Furto de dinheiro
Objectivo: Saber se a pessoa tem algo a ver com o furto

Exemplo de perguntas: *

  • Furtou o dinheiro que desapareceu?
  • Sabe quem realizou o furto do dinheiro?
  • Participou no furto do dinheiro?
  • Obteve alguma forma de beneficio com o dinheiro desaparecido?
  • Sabe onde está o dinheiro que desapareceu?

* Estas perguntas servem unicamente de exemplo e podem ser formuladas de forma diferente dependendo do caso a explorar.

Os possíveis resultados do teste são:

  • ED: ENGANO DETECTADO
  • END: ENGANO NÃO DETECTADO
  • INC: INCONCLUSIVO

ED: ENGANO DETECTADO (A pessoa não foi honesta nas suas respostas dadas com respeito ao caso investigado e portanto não supera o teste. Considera-se que a pessoa examinada mostra sinais de engano)

END: ENGANO NÃO DETECTADO (A pessoa foi honesta nas suas respostas dadas com respeito ao caso investigado e portanto supera o teste. Considera-se que a pessoa examinada mostra sinais de veracidade)

INC: INCONCLUSIVO (A análise da informação fisiológica recolhida durante o teste não permite chegar a um resultado conclusivo que indique veracidade ou engano da pessoa examinada).

Resultado do teste com respeito ao caso analisado:

No final do teste, a pessoa foi totalmente honesta a todas as perguntas e portanto o resultado do teste é END ou a pessoa não foi honesta a todas as perguntas e o resultado é ED.

Estes resultados ED e END são com respeito ao objetivo do teste e não a perguntas isoladas.

Topo


2. O teste é confidencial?

Um teste do polígrafo não só deve ser feito unicamente com o acordo da pessoa examinada, esta última deve assinar um documento de consentimento, mas é também totalmente confidencial. Podemos unicamente transmitir a informação obtida durante um teste à pessoa ou pessoas autorizadas pela pessoa examinada.

Isto é um assunto que consideramos de suma importância e tomamos todas as precauções para que a identidade das pessoas sejam confidenciais, e nunca damos os resultados a pessoas que não sejam previamente autorizadas pela pessoa examinada.

Topo


3. Quem recebe os resultados do teste do polígrafo?

Geralmente as pessoas que podem receber os resultados são expressamente indicadas pela pessoa que se submete ao teste. Estas pessoas são claramente especificadas por escrito pela pessoa examinada. Esta(s) pessoa(s), empresas, entidades, agências, etc. devem ser claramente identificadas no formulário de consentimento assinado pela pessoa examinada antes de se submeter ao teste.

A informação do teste e os resultados podem única e exclusivamente ser entregues às pessoas autorizadas e ninguém mais.

Topo


4. Qual é a margem de erro de um teste do polígrafo?

A margem de erro ou fiabilidade de um teste de polígrafo depende de diferentes elementos.

Em primeiro lugar devemos distinguir entre a fiabilidade dos registos do instrumento do polígrafo e em segundo lugar do teste em si.

É como falar sobre a fiabilidade de um carro. Um carro pode ser fiável e pode levar uma pessoa de um ponto A a um ponto B. No entanto existem outras variáveis que podem ter influência nesta fiabilidade. As condições atmosféricas, o estado das estradas, a perícia do condutor, etc. todas vão ter uma incidência no resultado final.

O instrumento de polígrafo, como instrumento de medição em si, caso esteja funcionando correctamente é fiável, podemos dizer a um 100%. (Normalmente é realizado um teste de calibração no início do teste para verificar que todos os sensores estão registando de forma correcta).

Agora, no que diz respeito ao teste do polígrafo, o processo que pretende determinar se uma pessoa está sendo honesta ou enganando com respeito a um assunto específico, a percentagem de fiabilidade depende do tipo de técnica que é utilizada.

Isto significa que as percentagens que são utilizadas para indicar a fiabilidade do teste estão baseadas em estudos realizados em laboratório sobre os diferentes tipos de técnicas que são aplicadas. Estes estudos deram uma percentagem de acerto e portanto também a uma margem de erro. Quando se fala de percentagem de fiabilidade, as percentagens indicadas são aquelas obtidas nestes estudos.

Estas técnicas foram validadas pela Associação Americana de Polígrafo e oscilam entre os 86% e 91% de fiabilidade. Dependendo do caso, o técnico utiliza a técnica mais adequada.

Obviamente estas estatísticas não tomam em consideração a perícia e experiência do técnico que podem aumentar ou diminuir estas percentagens.

Topo


5. Um particular pode também submeter-se a um teste?

Sim, uma pessoa particular pode submeter-se a um teste de polígrafo. Os únicos impedimentos são de ordem legal ou médica.

  • Por exemplo um menor de idade não pode ser submetido a um teste de polígrafo a não ser que o representante legal autorize o teste.
  • Também uma pessoa maior de idade que não deseja ser submetido a um teste não pode ser obrigado a realizar o teste.
  • Pessoas com patologias que possam ter uma influência nas medições do polígrafo também não são aptas para ser submetidas ao teste.
  • Em B.E.A.R. FORENSICS também não realizamos testes a mulheres grávidas ou em processo de gestação.

Topo


6. Quanto custa um teste de polígrafo?

O valor de um teste de polígrafo depende de diferentes variáveis.

A complexidade do caso a investigar, quantidade de exames que devem ser realizados, lugar onde são realizados os testes, são todas variáveis que podem ter uma incidência no valor do teste.

  • Por exemplo, testes de selecção e seguimento em recursos humanos têm um valor que oscila 150 a 250 Euros.
  • Casos específicos podem oscilar entre 400 a 500 Euros.
  • Casos nos quais o relatório do teste tem como objetivo ser utilizado num processo legal o valor oscila entre 600 e 1000 Euros.

A estes valores podem ser acrescentados gastos de viajem, diárias quando os exames não são realizados nas nossas instalações.

Topo


7. Onde posso fazer um teste do polígrafo em Portugal?

Em Portugal realizamos testes em todo o território, no entanto quando realizamos um exame específico normalmente realizamos o teste em Lisboa ou no Porto.

Também podemos realizar testes nas ilhas, tanto na Madeira como nos Açores, dependendo do caso.

Para mais informação sobre os lugares, endereços e informação de contacto por favor seguir o seguinte link.

Topo


8. Pode outra pessoa também assistir ao teste?

Um teste de polígrafo é um processo que necessita de total privacidade e estar livre de distracções. Esta é a razão pela qual o teste é realizado unicamente com a pessoa examinada.

Ao início do teste pode estar presente outra pessoa interessada no resultado do teste mas quando começa o teste estarão unicamente o técnico e a pessoa examinada.

Topo


9. Quanto tempo demora em receber os resultados?

Os resultados do teste são normalmente dados em 24 horas. No entanto é possível que a elaboração do relatório demore mais tempo, especialmente quando o relatório é para ser utilizado num processo legal. Neste caso o relatório pode demorar entre 24 a 72 horas.

Topo


10. Em que consiste o relatório do exame?

O relatório final é uma transcrição escrita de todo o processo do teste. O relatório inclui normalmente a seguinte informação:

  1. Identificação da pessoa examinada
  2. Objectivo do teste, assunto a examinar
  3. Explicação do instrumento, acessórios e procedimento do teste
  4. Declaração verbal da pessoa examinada com respeito ao objectivo de teste (assunto examinado).
  5. As perguntas realizadas com a resposta da pessoa examinada para poder chegar a uma conclusão sobre o objectivo do teste
  6. O resultado final do teste com respeito ao assunto analisado

Os resultados finais possíveis podem ser:

  • ED: ENGANO DETECTADO (A pessoa não foi honesta nas suas respostas dadas com respeito ao caso investigado e portanto não supera o teste, é dizer que se considera que a pessoa examinada mostra sinais de engano)
  • END: ENGANO NÃO DETECTADO (A pessoa foi honesta nas suas respostas dadas com respeito ao caso investigado e portanto supera o teste, é dizer que se considera que a pessoa examinada mostra sinais de veracidade)
  • INC: INCONCLUSIVO (A análise da informação fisiológica recolhida durante o teste não permite chegar a um resultado conclusivo que indique veracidade ou engano da pessoa examinada).

Topo


11. Quem não pode ser submetido a um teste?

  • Qualquer pessoa que não dê o consentimento de forma voluntária para realizar o teste do polígrafo não pode ser submetida ao teste.
  • Menores de idade sem o consentimento do ou dos representantes legal/legais.
  • Pessoas que não são consideradas mentalmente aptas para realizar o teste
  • Pessoas que o técnico pode considerar não estar apta para realizar o teste

Topo


12. Como funciona um teste do polígrafo?

Existem diferentes tipos de testes do polígrafo e podem ter um procedimento diferente. No entanto um exame do polígrafo normalmente tem um procedimento bastante standard que consiste nos seguintes passos:

  1. Consentimento escrito por parte da pessoa examinada
  2. Explicação do instrumento e do procedimento do teste
  3. Entrevista com pessoa examinada sobre o caso a analisar
  4. Realização das perguntas do teste com pessoa examinada conectada ao instrumento do polígrafo
  5. Análise dos gráficos recolhidos
  6. Elaboração do relatório com os resultados e opinião profissional do técnico

Topo


13. Existem limitações ao tipo de assuntos, perguntas tratadas?

Um teste do polígrafo tem limitações no numero de assuntos tratados e perguntas realizadas. Também existem certas normas éticas com respeito aos assuntos e perguntas que podem ser tratados.

A) Testes de selecção de pessoal (Recursos Humanos)

Em testes de polígrafo de selecção de pessoal o exame não deve tratar temas pessoais como:

  • Opinião ou afiliações religiosas;
  • Opinião com respeito a matérias raciais;
  • Opinião ou afiliações políticas;
  • opinião, afiliações ou actividades legais com respeito a organizações laborais;
  • Preferências ou actividade sexual

B) Em testes específicos

Em testes específicos os pontos mencionados anteriormente também são válidos a não ser que se investiga um caso sobre esse aspecto. Por exemplo, um caso de abuso sexual tratará perguntas sobre costumes sexuais.

As perguntas do teste devem ser limitadas em tempo. Todas as perguntas são revisadas com a pessoa examinada antes de ser realizadas.

Topo

EuropeSpain